Sindiquímica Notícias


Olá:

Temos novos enreços na internet, para  sua vista:

http://sindquimica.blogspot.com e

www.sindiquimica.org.br 



Escrito por Sindiquímica às 19h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




MONOPÓLIO PRIVADO NA INDÚSTIRA PETROQUÍMICA NACIONAL.

 

 * Salvador Alves de Oliveira.

 

Nas últimas semanas vários órgãos da imprensa, especializada ou não, vem dando como cerca a fusão ou compra da Quattor Petroquímica S. A. pela Braskem, leia-se: grupo Norberto Ordebrecht; e mais, que essa movimentação ocorreria com o apoio ou patrocínio da Petrobrás, que hoje é, contratualmente, sócia minoritária das duas empresas petroquímicas.

Deve-se frisar que a Quattor Petroquímica surgiu da fusão de cinco empresas petroquímicas existentes nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo e produziam matérias-prima petroquímicas e resinas termoplásticas e que tal transação comercial só foi viabilizada após uma importante participação financeira da Petrobrás.

Vale ressaltar que a constituição do Duapólio Privado nos setores de petroquímicos básicos e resinas termoplásticas ocorrido ao longo dos anos de 2007 e 2008; foi patrocinado ou favorecido pela nossa estatal do petróleo e o BNDES.

Há cerca de 17 anos, para atender aos ditames do neoliberalismo e aos devaneios dos políticos de plantão, a Petrobrás caminhou na contramão de todas grandes empresas petrolíferas do planeta, vendendo a preço de banana ou trocando por moedas podres, diga-se a bem da verdade, seu importante braço petroquímico; construído com dinheiro público e trabalho de algumas gerações de brasileiros, ao longo das três décadas anteriores.

A estatização e fortalecimento da central de matérias-prima petroquímicas do ABC Paulista, as construções das centrais petroquímicas de Camaçari-BA e Canoas-RS, financiadas pela Petrobrás, assim como a implantação dos três Pólos Petroquímicos nacionais, foram paços importantíssimos para a concretização deste seguimento industrial, dos derivados do petróleo, em nosso país; assim como se constituíram em estratégia correta, utilizada por todas grandes empresas petroleiras do planeta, estatais e privadas, que na última metade do século passado procuram atuar verticalmente, estendendo a sua cadeia produtiva para além da exploração, produção, refino e distribuição dos derivados do petróleo; especialmente porque a industria petroquímica agrega mais valores a estes derivados, bem como traz retorno mais rápido dos investimentos realizados.

No momento, para não ferir os interesses e não despertar a ira de setores políticos e econômicos conservadores e entreguistas, nacionais e internacionais, o governo patrocina econômica e politicamente a criação de um monopólio privado na industria petroquímica brasileira.

Ora, as privatizações foram realizadas sob o discurso da ineficiência do Estado como empresário e em nome do fortalecimento da iniciativa privada nacional; para que esta fizesse frente às multinacionais do setor químico e petroquímico.

Passados quase vinte anos, as empresas que restaram no setor, após fusões e aquisições, estão atoladas em dívidas e se mostram incapazes da andar com suas próprias pernas ou recursos financeiros e, mais uma vez, querem socorro dos cofres públicos, para realizarem aquilo que se propuseram, no inicio dos anos 90 e não o fizeram por incompetência. É possível acreditar?

A sociedade brasileira não pode continuar aceitando a lógica da “competente iniciativa privada”, onde o poder público faz o investimento, o povo paga a conta e os capitalistas embolsam com o lucro.

Na recente crise financeira internacional, esta lógica foi amplamente utilizada nos chamados paises do “primeiro mundo” onde recursos financeiros das nações e, conseqüentemente, da sociedade, foram desviados para socorrer empresas privadas falidas que “apenas” haviam especulado no mercado (cassino) financeiro internacional e, na lógica dos capitalistas, nos bons momentos usurpam os lucros e nas crises repassam os prejuízos para o povo; quer com a solicitação de empréstimos subsidiados ou incentivos fiscais, com a sonegação de tributos e, principalmente, com a imposição do desemprego.

A criação de um monopólio privado de produtos petroquímicos básicos, no Brasil, só será benéfico para a empresa que vier exercê-lo, pois, conforme já foi dito, esta nova empresa terá condições de concorrer com as multinacionais no comercio internacional de petroquímicos e, principalmente, no mercado de resinas termoplásticas. Porém, qual a vantagem que terá a sociedade brasileira se tivermos uma empresa privada priorizando as exportações, no momento em o mercado internacional se mostrar mais lucrativo do que o mercado interno e, por conta do monopólio, esta empresa será a única compradora nacional da nafta e gás natural para uso petroquímico, produzidos pela Petrobrás.

Ora, se a dita “iniciativa privada” não tem recursos financeiros ou competência administrativa para gerir e desenvolver a industria petroquímica nacional, respeitando os princípios da livre concorrência e os interesses do país e, se isto só será possível com o estabelecimento de um monopólio financiado com dinheiro público; que este monopólio seja exercido pela Petrobrás.

Que não reservem para o nossa empresa petrolífera o vergonhoso papel de “sócia minoritária relevante”, conforme palavras de um executivo da empresa. Quando, na prática, a União está assumindo a condição de minoritária apenas nas questões relacionadas à gestão do negocio.

O País tem expectativa de que dentro de alguns anos teremos uma grande disponibilidade de petróleo e gás natural, com a exploração das reservas da camada pré-sal; isto colocaria o Brasil e a Petrobrás em situação privilegiada no mercado nacional e internacional de derivados do petróleo, especialmente no tocante aos produtos petroquímicos de primeira e segunda geração. Logo, se isto é possível, por que fortalecer um monopólio privado, nesta área, por que negar a lógica natural das grandes empresas petroleiras do planeta, que têm na industria petroquímica um dos seus importantes caminhos para expansão vertical da produção.     

 

 

* Salvador Alves de Oliveira é Diretor do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Petroquímica de Duque de Caxias e Trabalhador Aposentado da Petrobrás Química S. A. - FABOR.

 



Escrito por Sindiquímica às 12h03
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA INFORMA

NEGOCIAÇÕES SALARIAIS 2009

Estaremos iniciando, efetivamente, as negociações deste ano a partir da reunião “Mesa Redonda” a ser realizada na Gerência Regional de Ministério do Trabalho e Emprego que foi agendada para  o dia 16 de setembro, às 14 horas; com a presença do Sindicato da Industrias de Produtos Químicos para Fins Industriais do Estado do Rio de Janeiro – SIQUIRJ. Esta mediação, feita pelo represente do Ministério é importante do ponto de vista jurídico, porque será a oportunidade de caracterizar, legalmente, a negativa do Sindicato Patronal em assumir a coordenação das negociações, em nome de suas representadas.

Paralelamente, para garantir a “Data Base” da Categoria, em primeiro de setembro, no dia 28 de agosto a Assessoria Jurídica do Sindicato entrou com um processo na Justiça do Trabalho, chamado de “Protesto Judicial”, em que requeremos ao Tribunal Regional do Trabalho que assegure a nossa “Data Base”, em 1º de setembro, independentemente do mês em que venhamos celebrar a Convenção ou Acordos Coletivos.

 

Perspectiva de negociações

Apesar do patronato continuar dizendo que as Empresas ainda estão sob o efeito da crise internacional, percebe-se que as atividades econômicas do País não sofreram grandes abalos nos últimos nove meses e, mesmas aquelas que tiveram redução de atividades, já retomaram a normalidade e voltaram a níveis de faturamento próximos aos que se verificavam nos primeiros nove meses do ano passado.

Os órgãos públicos, como IBGE e outros, assim como quase todas entidades patronais são unânimes em reconhecer que a crise econômica não afetou o setor produtivo brasileiro com a mesma intensidade com foram afetadas as economias dos paises europeus, dos Estados Unidos e Japão.

Vale lembrar, ainda, que os movimentos de investimentos, fusões e aquisições de empresas no Brasil não pararam; isto é um sinal claro de que os capitalistas nacionais e internacionais que atuam na economia brasileira não estão vivendo na crise que nos querem fazer crer. O que está ocorrendo são as empresas multinacionais procurando repatriar os lucros obtidos no Brasil, Rússia, Índia e China (BRIC), para tapar ou minimizar os buracos que surgiram em suas matrizes nos paises de origem.

Por outro lado, conforme analise realizada pelo DIEESE, em 245 Acordos e Convenções Coletivas negociadas no PRIMEIRO SEMESTRE de 2009, constatou-se que de 77% das Categorias que firmaram Instrumentos Coletivos no período, obtiveram reajustes salariais acima do INPE-IBGE. Isto prova, mais uma vez, que a economia brasileira não foi afetada pela crise internacional, conforme alardeiam os patrões.

 

Negociações de Turno:

Até o fechamento desta edição a QAUTTOR não havia agendado a data para inicio das negociações para a renovação do Acordo para trabalho em Turnos de Revezamento; no dia 9 de setembro o Sr. Mauricio fez contato com o SINDIQUIMCA informado que pretende realizar uma reunião nos próximos dias. Lembramos aos Companheiros interessados que o ACT anterior vigorou até 31 de agosto último, porém este mesmo instrumento prever que não ocorrendo sua renovação, em tempo hábil, ele teria uma prorrogação de até 180 dias, para que as partes providenciassem o entendimento; caso contrário a Empresa deverá implementar o prever o artigo 7º, inciso XIV, da Constituição Federal.

 

Negociações da PLR 2009:

LANXESS - Na fabrica da Lanxess, em Duque de Caxias, foram eleitos os representantes dos Empregados para compor a Comissão de Negociações, porém conforme deliberado no Seminário da Rede de Trabalhadores da Lanxess, em Porto Feliz, nos dias 9 e 10 de julho último, estas negociações ocorrerão em conjunto, envolvendo todos os Sindicatos que tem unidades da Empresa na Brasil. Por esta razão, o SINDIQUIMCA aguarda a composição da Mesa de Negociações Nacional, para dar início ao processo.

QUATTOR - No dia 1º, último, foi realizada a 3ª reunião conjunta da Comissão Nacional de Negociações de PLR, composta por representantes dos Trabalhadores, dos Sindicatos e da Empresa; conforme o representante do SINDIQUIMCA nessa Comissão, Companheiro MARCELO PERON,



Escrito por Sindiquímica às 17h24
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA INFORMA  

PETROBRÁS - A CPI DOS ENTREGUISTAS.

 

Neste momento, o Senado Federal e a dita “grande imprensa” se ocupam com discursos e Editoriais raivosos, pedindo uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar supostas irregularidades ocorridas na administração da Petrobrás. Tanto uns quatro os outros, evidentemente, se arvoram defensores ardorosos da Empresa e de nacionalista de primeira estirpe.

Parecem que acreditam em uma sociedade brasileira composta por desmemoriados ou idiota, pois estes mesmos “senadores nacionalistas”, no inicio dos anos 90, sob a batuta de Fernando Collor; entregaram, a preço de banana, o Setor Petroquímico, até então controlado pela Petrobrás; trocando-o por títulos públicos (moedas podres), que valiam menos de 50% do seu valor de face, mercado financeiro e foram entregues ao BNDES pelo seu valor de face ou declarado.

Estes “patriotas de meia tigela” cometeram um crime contra o patrimônio nacional e fizeram com que a Petrobrás se transformasse na única grande empresa petroleira do planeta a abrir do seu “braço petroquímico”, que agrega mais valores ao derivado do petróleo e tem retorno financeiro mais rápido.

Não satisfeitos com o primeiro crime contra a sociedade e o patrimônio brasileiros, cometidos na era Collor, com o advento do governo FHC, apoiaram a revogação de Lei 2004/1953 e quebra do Monopólio Estatal do Petróleo, ate então exercido pela Petrobrás; preparam a privatização da própria empresa, inclusive, tentaram mudar o nome de Petrobrás para “Petrobax”. Não conseguiram concluir esta tarefa porque houve resistência e clamor de boa parte da sociedade brasileira.

Apesar não terem atingido, naquele momento, os seus objetivos, os entreguistas não desistiram das negociatas e, então, colocaram ações da Petrobrás na Bolsa Valores de Nova York. Esta manobra fez com que parte do patrimônio da Empresa fosse desnacionalizado e, na prática, a União ficasse com um controle frágil da companhia e passe ter que atender determinações dos acionistas americanos.

Foi, também, durante este período que se realizou contratos para construção de navios e plataformas com estaleiros internacionais, desmontando a indústria naval brasileira e reduzindo nível de emprego no setor a níveis próximo de zero.

Vale lembrar que dentre as obras desta época está a adaptação da Plataforma P 36; que explodiu, uma dezena de trabalhadores e afundou na Bacia de Campos; cujo projeto e execução de modificação já haviam sido questionados por engenheiros brasileiros pois, conforme afirmavam, a estrutura da embarcação era inadequada para receber o volume e peso dos equipamentos que foram instalados na plataforma.

Desgastar a Petrobrás hoje, não seria uma estratégia para facilitar a sua privatização no futuro, caso “tucanos” e “demos” voltem à Presidência da República a partir de 2011? Afinal, conhecemos há muito tempo, a falta de escrúpulos e a capacidade de realizar falcatruas deste pessoal.

NÃO SE ENGANEM COM ESTAS “OVELHAS”, SOB ESTA PELE EXISTEM LOBOS FAMINTOS!

 

                                                                

SOB O ÍMPETO DO NOVO COLONIZADOR

 

Na procura de entender o que vem acontecendo na ex-Petroflex, nos últimos meses; diante de dezenas de demissões, promessas que não se concretizam e atos que às vezes nos parecem sem lógica ou até mesmo insano; temos dialogado com vários trabalhadores, especialmente aqueles que vem sendo demitidos.

Diante deste exercício, chegamos a algumas conclusões; os novos acionistas da empresa parecem mais interessados no mercado Brasileiro e da América do Sul, do que propriamente em produzir borracha sintética por aqui. Se não vejamos: dezenas de técnicos, de nível médio e superior, com mais de vinte anos de empresa, foram sumaria e inexplicavelmente demitidos.

Ora, não se altera a cultura ou se faz a “sinergia” de uma empresa ou organização destruindo o seu patrimônio humano e sua inteligência, de forma abrupta e indiscriminada porque, desta forma, se compromete a existência da própria organização.

Temos informação que os novos detentores do poder não aceitam ponderações, mais que venha de experiências auspiciosas, durante vários anos. Uma unidade fabril que tem quase meio século de existência tem uma história e uma cultura técnica que não podem ser abandonadas ou suprimidas apenas pela vontade dos novos controladores da empresa.

Uma empresa não se constrói, desenvolve e perpetua com meia dúzia de seres  que se reivindicam iluminados ou superiores, os colonizadores e uma legião de submissos, bajuladores ou desprovidos de idéias, pensamento e horizontes.

Mudar a cultura, a filosofia de vida e os costumes é uma prática milenar dos colonizadores, invasores e conquistadores, todavia, a historia no prova que mesmo em condições extremas os colonizadores foram obrigados a absorverem o saber, o conhecimento e parte da cultura dos colonizado; sob pena de estarem condenados ao fracasso de sua missão.

Não podemos jamais empregar a máxima do Reinado de D. Maria I (a louca), no final do século XVII; que afirmava: “Aos colonizadores e dado o direito de tudo, sobre tudo e sobre todos, aos colonizados é imperativo o dever de serem dóceis, obedientes e submissos. Ai dos contestadores ou rebeldes; a estes ser-lhes-ão legado o degredo ou a forca”. Nas sociedades ditas civilizadas do século 21, acreditamos que não há mais espaço para novos José Joaquim da Silva Xavier; porque o direito de pensar, opinar e divergir é próprio e irretratável do ser humano dos nossos dias, ou não?

Recebemos informações que a Lanxess retomará a produção aos moldes dos primeiros nove meses de 2008, ou seja, colocando em operação as três linhas de reatores e os cinco secadores de borracha; porém, até o momento, não se falou em contratação trabalhadores para atender esta demanda. É importante lembrar que nos últimos meses aproximadamente 50% dos postos de trabalho destes setores foram fechados, portanto, é humanamente impossível retornar aos níveis de produção do ano passando, sem reabrir os postos de trabalha extintos. Caso isto ocorra, além de borracha serão “fabricados” também, algumas dezenas de acidentados e doentes. Onde ficará a segurança, a preservação da integridade física e da saúde dos trabalhadores, DITOS PONTO DE HONRA DA COMPANHIA e que teria justificado o fechamento do PBLH

 

                    PLR NA QUATTOR

 

RIOPOL: Em contato telefônico com o Sr. Mauricio Moreira, Coordenador de Relações Trabalhistas e Sindicais da QUATTOR, por volta da 17 horas desta sexta-feira feira (22/05), fomos informados que a PLR, devida aos Trabalhadores da RIO POLIMEROS, será paga na próxima sexta-feira feira, dia 29; conforme já havia sido decidido pela direção da Empresa.

Disse-nos que não tinha condições de dizer qual o valor ou múltiplo de remuneração a ser pago, porque, conforme palavras do Sr. Mauricio, a questão ainda estava sendo discutida pela Diretoria da Empresa, que se encontrava reunida naquele momento e não havia previsão para o término da reunião. Comprometendo-se a divulgar esta informação no início da próxima semana.

Esperamos que desta vez, embora com um mês de atraso, o Acordo de PLR firmado com a Comissão de Empregados, Homologado e Depositado neste Sindicato se finalmente honrado.

 

QUATTOR PP: Em relação aos Companheiros da QUATTOR PP (ex-Suzano), até o fechamento deste Informativo, a Direção da Empresa não havia deliberado sobre o pleito de pagamento de uma Remuneração como antecipação da PLR a ser paga em 2010.



Escrito por Sindiquímica às 16h27
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA INFORMA  

PROCESSO ELEITORAL SINDIQUIMICA

 

               COMPOSIÇÃO DA NOVA DIRETORIA: 

 

 

 

COORDENAÇÃO DAS SECRETARIAS - Secretaria de Administração e Patrimônio: NELSON FARIAS JÚNIOR; Secretaria de Finanças: SEBASTIÃO PEREIRA GURGEL; Secretaria de Imprensa e Divulgação: PAULO SALMON; Secretaria de Política e Formação Sindical: MARCELO PERON DI PUGLIA; Secretaria de Aposentados e Previdência: SALVADOR ALVES DE OLIVEIRA; Secretaria Geral: SONIA MARIA FREIRE CUNHA; Secretaria de Saúde, Tecnologia e Gestão Ambiental: FABIO ARAUJO LUIZ; Secretaria de Assuntos Jurídicos: SEBASTIÃO CARLOS DA SILVA. Diretoria Suplente: ANTONIO CARLOS DE ANDRADE, JOAREZ JORGE DA FONSECA, JORGE BUOERY, JOSÉ ANTONIO FERREIRA ARAGÃO, JOSÉ ANTONIO MONTEIRO SALGADO, WAGNER BELLO FERNANDES. Conselho Fiscal Efetivo: ADMAR NUNES DA CUNHA, ELI SANTOS CRUZ, LUIZ DOS SANTOS; Conselho Fiscal Suplente: CESAR LOPES VIVIANI; Delegados Representantes à Federação - Efetivos: CESAR LOPES VIVIANI, JOSÉ ANTONIO FERREIRA ARAGÃO; Delegados à Federação Suplentes: MARCELO PERON DI PUGLIA, ANTONIO CARLOS DE ANDRADE. A Diretoria tomará posse, oficialmente, em 01/06/2009 e exercerá seu mandato até 31 de maio de 2012.

 

 

 

 

REUNIÃO DOS APOSENTADOS

DIA 26 DE JUNHO - ÀS 10 HORAS

   

Conforme anunciamos na última reunião (13 de maio) abriremos, oficialmente, a Campanha Salarial de 2009, no dia 26 de junho próximo; este ato coincidirá com a véspera do aniversário do SINDIQUIMICA, dia 27 e também será comemorada a posse da nova Diretoria do Sindicato, que assume o mandato em 1º de junho.

Para não exigir que os companheiros se desloquem até a sede da entidade duas vezes no mesmo mês, estamos transferindo a reunião dos Aposentados que deveria acontecer no dia 10/06, para a data de abertura da Campanha Salarial, dia 26/06.

Aproveitaremos a mesma data para iniciar a Campanha Salarial, Comemorar os 46 anos de fundação do SINDIQUIMCA e a nova Diretoria confraternizar com o Quadro Social.

 

USUÁRIOS DA UNIMED: Até o dia 29/05, conforme está previsto no nosso Contrato, a UNIMED terá que apresentar o índice de reajuste para o próximo período. Por esta razão convocaremos uma reunião com os associados titulares do Plano, durante o mês de junho, para discutir as negociações para renovação do contrato de prestação do serviço.

 

DISSÍDIOS COLETIVOS:

 

AÇÃO DE CUMPRIMENTO DC 2001: Processo 00146-2005-207-01-00-3

O Perito que foi nomeado para realizar a verificação dos Cálculos apresentados pelo SINDIQUIMICA; desistiu de realizar o trabalho, alegando que tinha outros processo mais antigos para aguardando laudo pericial e, não teria condições de cumprir o prazo de 90 (noventa) dias. Por esta razão o Juiz nomeará outro perito.

 

AÇÃO DE CUPRIMENTO DC 2003: Processo 00383-2009-201-01-00-0

O processo foi distribuído para a 1ª Vara do Trabalho de Duque de Caxias e está com primeira Audiência marcada para o dia 10/06/09 às 09 horas e 30 minutos. Manteremos os companheiros informados sobre o andamento de mais esse processo. 

  

 



Escrito por Sindiquímica às 16h21
[   ] [ envie esta mensagem ]




BOLETIM

      SINDIQUIMICA  INFORMA

PLR - NA QUATTOR

 

RIOPOL - QUATTOR ASSUME COPROMISSO:

Em reunião realizada nesta quinta-feira, na Sede do SINDIQUIMICA, o Srs. Maurício Moreira e Élson Magno, representando da QUATTOR, eles comprometeram a definir os valores da PLR da RIOPOL e a efetuar o pagamento do débito até o final deste mês. Asseguram, os representantes da Empresa, que estas definições dependem apenas de homologação da proposta da Diretoria da QUATTOR, a ser apresentada ao Conselho de Administração da Companhia, em reunião que será realizada nos próximos dias.

Lamentavelmente, as indefinições quanto à concretização da QUATTOR e a falta de conhecimento das práticas e Acordos firmados antes da criação dessa empresa, tenham implicado no não cumprimento do Acordo de PLR, assinado com a Comissão de Empregados da Empresa, homologado e depositado neste Sindicato.

Embora os argumentos dos representantes da QAUTTOR pareçam razoáveis, as indefinições e problemas internos, na constituição da nova Empresa, não justificam o desrespeito aos trabalhadores e ao compromisso assumido com eles e com este Sindicato; uma vez que o Instrumento Coletivo foi firmado com a RIOPOL, Empresa que continuam existindo, de fato e de direito, e a QUATTOR é apenas uma “controladora” do seu patrimônio acionário.

 

QUATTOR PP:

Com relação à Quattor PP (antiga Suzano Petroquímica), formos informados que não haverá pagamento de PLR, porque as metas previstas no Acordo não foram atingidas. Será proposto ao Conselho de Administração, em sua próxima reunião, um pagamento de 50% da remuneração, a título de antecipação da PLR de 2009, a ser descontado do valor que vier a ser pago no início de 2010.   

 

PLR LANXESS:

A Empresa pagou, na última segunda-feira, com o nome de bônus, a PLR do exercício de 2008; com o valor correspondente à 2,04 remuneração de cada empregado.

Estamos aguardando o início das negociações das metas e demais condições para o pagamento da PLR de 2009, conforme compromisso firmado com o Sr. Ludovico Martin, em reunião realizada no final do ano passado em São Paulo, onde foi acertado que a negociação deste ano seria de forma corporativa, envolvendo todos os Sindicatos que tem unidades da Lanxess, em suas bases territoriais.    

 

 

ELEIÇÕES NO SINDIQUIMICA:

Realizada a apuração da votação na eleição para renovação da Diretoria do Sindicato, verificou-se um expressivo comparecimento dos Associados às Urnas, em segundo turno (escrutínio); sendo que entre os sócios da ativa o comparecimento atingiu 63,2% daqueles com direito a voto e no seguimento dos associados aposentados chegou a 33, 7% do quadro social. Com este resultado foi alcançado o quorum estatutário e a chapa única concorrente ao pleito foi declarada eleita.

 

E D I T A L

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DAS ELEIÇÕES DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA DE DUQUE DE CAXIAS - RJ.

 

Pelo presente EDITAL, em atendimento aos dispositivos estatutários e á legislação pertinente; faço saber a quem interessar poça, que nos dias 15, 16 e 17 de abril de 2009, em segundo escrutínio, foram realizadas as eleições deste Sindicato, tendo sido eleitos os Associados, abaixo relacionados, para compor a Diretoria Colegiada, o Conselho Fiscal e a Delegação Junto à Federação, para o triênio de 1º junho de 2009 a 31 de maio de 2012: ANTONIO CARLOS DE ANDRADE, ADHEMAR NUNES DA CUNHA, CESAR LOPES VIVIANI, ELI SANTOS CRUZ, FÁBIO ARAUJO LUIZ, JOAREZ JORGE DA FONSECA, JORGE BUOERY, JOSÉ ANTONIO FIERREIRA ARAGÃO, JOSÉ ANTONIO MONTEIRO SALGADO, LUIZ DOS SANTOS, MARCELO PERON DI PUGLIA, NELSON FARIAS JÚNIOR, PAULO SALMON, SALVADOR ALVES DE OLIVEIRA, SEBASTIÃO CARLOS DA SILVA, SEBASTIÃO PEREIRA GURGEL, SONIA MARIA FREIRE CUNHA e WAGNER BELLO FERNANDES. Conforme dispõe os Estatutos desta Entidade, fica aberto o prazo estatutário de 5 (cinco) dias, a contar da data de publicação desta Edital, para impugnação dos candidatos eleitos.

 

Duque de Caxias - RJ, 05 de maio de 2009.

 

 

 

CARLOS VAZ FERREIRA

Presidente da Comissão Sindical Eleitoral.

 

 



Escrito por Sindiquímica às 20h24
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA  INFORMA

ELEIÇÕES NO SINDIQUIMCA

 

DIAS 15, 16 E 17 DE ABRIL DE 2009.

 

O Mandato da atual Diretoria encerrará no dia 31 de maio próximo, por esta razão, estamos abrindo o processo eleitoral para eleição de uma nova Direção que tomará posse no dia 01 de junho de 2009 e conduzirá os destino de nosso Sindicato até 31 de maio de 2012.

 Em virtude de, normalmente, não se alcançar o quorum eleitoral no primeiro escrutínio (primeiro turno), faremos uma votação simbólica no dia 09 de abril e a votação em segundo turno nos dias 15, 16 e 17 do mesmo mês.

Para este segundo turno, colocaremos urnas nos acessos às Empresas Nitriflex, Petroflex, Quattor e Riopol e, ainda na sede do Sindicato. Para facilitar a participação dos Companheiros em gozo de férias e aposentados; a Assembléia aprovou a aceitação do “Voto Por Correspondência”. Assim, os Aposentados com direito a voto e com cadastro atualizado no Sindicato, receberão a Cédula de votação pelo Correio, juntamente com um envelope resposta e poderá exercer, desta forma, o direito de voto.

O Associado em gozo de féria no período da eleição poderá solicitar a cédula de votação à secretaria do Sindicato até o dia 02/04/09 e devolvê-la pelo correio até o dia 17/04/09, data limite para postagem do “voto por correspondência”.

O voto por correspondência terá o seu sigilo garantido por que será colocado em dois envelopes; sendo que no primeiro haverá identificação do Associado, para que a comissão eleitoral verifique se ele tem direito ao voto e o segundo, onde estará a Cédula, será lacrado e não terá qualquer identificação. Certificada a condição de eleitor, o segundo envelope será depositado na urna e o primeiro destruído.

O período para inscrição de chapas será de 18 a 31 de março. Para isto, a Secretaria do Sindicato funcionará nos horários previstos no Edital de Convocação das Eleições. E, no dia 2 próximo, divulgaremos as chapas concorrentes ao pleito e as respectivas  relações de candidatos inscritos.

Contamos com a participação de todos os nossos Associados neste momento importante para a vida da Entidade e fortalecimento da Categoria Petroquímica.

VOTAR É MAIS DO QUE UMA OBRIGAÇÃO: É UM DIREITO SEU!

   

 ELEIÇÕES SINDICAIS

    15, 16 E 17 DE ABRIL DE 2009

Edital de Convocação:

 

Pelo presente EDITAL, na forma que preceitua o Capítulo VII do Estatuto deste Sindicato, faço saber que conforme deliberação da Assembléia Geral Ordinária, realizada no dia 11 de março 2009; a  partir do dia 09 de abril de 2009 (no horário das 09 às 18 horas, na sede social do Sindicato e das 07 às 17 horas nas empresas abaixo mencionadas); na sede social desta entidade, sita à rua Tuiuti no 173, barro 25 de agosto, neste município, e nas áreas das empresas: Nitriflex S. A. Indústria e Comércio, Petroflex Indústria e Comércio S. A. Quattor Petroquímica S. A. e Rio Polímeros S. A, todas situadas à rua Marumbi, nos 1300, 600, 1400 e 1001, respectivamente, em Campos Elíseos - Duque de Caxias. Terá início o processo eleitoral para composição da Diretoria, Conselho Fiscal e Delegados Representantes ao Conselho da Federação a que está filiada esta entidade e respectivos suplentes. Para o triênio compreendido entre 01 de junho de 2009 a 31 de maio de 2012. Ficando aberto o prazo de 10 (dez) dias úteis para registro de chapas, a contar da data da publicação do aviso resumido deste Edital em jornal de grande circulação; cujo período será de 18 a 31 de março corrente. O requerimento, acompanhado de todas os documentos exigidos para o registro de chapas, será dirigido ao Secretário de Administração e Patrimônio da entidade.

A Secretaria do Sindicato funcionará, no período destinado ao registro de chapas, no horário das 9 às 12 e das 14 às 18 horas, onde se encontrará a disposição dos interessados pessoa habilitada pra o atendimento, prestação de informações concernentes ao Processo Eleitoral, recebimento de documentação e fornecimento do correspondente recibo.

A impugnação de candidaturas deverá ser feita no prazo de 5 (cinco) dias corridos, a contar da data da publicação da relação nominal das chapas registradas.

Caso não seja obtido quorum estatutário no primeiro escrutínio que ocorrerá nos dias 09 de abril, correspondente a cinqüenta por cento mais um do total dos associados com direito a voto; a eleição em segunda votação será realizada nos dias 15, 16 e 17 de abril de 2009, sendo então, declarada eleita a chapa que obtiver a maioria dos votos dos eleitores presentes.

Será aceito o Sistema de Voto Por correspondência, na forma que foi aprovada pela Assembléia supramencionada; sendo computados os sufrágios de Eleitores habilitados a votar, postados nos Correios até o dia 17 de abril de 2009.

Votam e podem ser votados, todos os associados maiores de 18 anos, em gozo de seus direitos sindicais e mais de 6 (seis) meses de inscrição no quadro social, anteriores a data da realização das eleições.

Será declarada vencedora aquela chapa que obtiver maioria dos votos (50% mais um) em relação do total dos eleitores, em primeira votação, ou maioria dos votos dos eleitores presentes, no segundo escrutínio. Conforme preconiza o artigo 44 e seu parágrafo único dos Estatutos do Sindicato.  

 

Duque de Caxias, 18 de março de 2006.

 

Salvador Alves de Oliveira

Secretário de Administração e Patrimônio

 



Escrito por Sindiquímica às 18h17
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA  INFORMA

ELEIÇÕES SINDICAIS 2009

 

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA

DIA 11 DE MARÇO DE 2009 - ÀS 10 E 17 HORAS.

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

 

Pelo presente EDITAL, na forma da Seção V, Artigo 42, do Estatuto deste Sindicato, ficam convocados os Associados desta Entidade, quites com suas obrigações sociais, para se reunirem em Assembléia Geral Ordinária, no dia 11 de março de 2009, em duas Sessões, as 10 e às 17 horas, em primeira convocação e 30 minutos após em segunda; para em conformidade com o artigo supramencionado e seu parágrafo 1º, deliberarem sobre a seguinte:

 

ORDEM DO DIA

                                                               

I - Discussão e votação das regras para a realização de Eleições para renovação da Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Petroquímica de Duque de Caxias;

II - Aprovação do Regimento e Calendário Eleitoral, observadas as disposições contidas nos artigos 41 ao 44  do Estatuto desta Entidade;

III - Outras Disposições Gerais relacionadas ao Processo Eleitoral.

 

Duque de Caxias, 18 de fevereiro de 2009.

 

_________________________________

Salvador Alves de Oliveira

Secretário de Administração e Patrimônio



Escrito por Sindiquímica às 14h28
[   ] [ envie esta mensagem ]




     SINDIQUIMICA  INFORMA

LÓGICA DO PATRONATO

EMBOLSAR OS LUCROS E SOCIALIZAR PROVÁVEIS PREJUÍZOS

 

Apesar de a economia do País ter crescido em 2008 e as Empresas do segmento de Produtos Químicos de Uso Industrial (borracha, petroquímicos básicos, plásticos, resinas termoplásticas etc.), terem conseguido resultados positivos, com aumento do faturamento, em dólares, de 55,1 bilhões em 2007, para 61,6 bilhões em 2008, o que corresponde a um aumento de 11,8% - conforme estimativa da ABIQUIM - bastou uma redução das vendas nos meses de outubro, novembro e dezembro e as empresas do País e do nosso setor começaram as demissões “preventivas”, ignorando os últimos 8 anos de bons resultados e ótimos lucros.

Nos mês dezembro e janeiro, realizaram centenas de demissões no setor petroquímico; só na Lanxess  foram mais de trezentas rescisões de contrato de trabalhadores terceirizados e próprios e, em fevereiro, alem de as demissões continuarem, será concedida férias coletivas para 67 trabalhadores. A Quattor está realizando 66 demissões nas suas diversas unidades operacionais, sendo dez em Duque de Caxias.

Recebemos informações da área de RH da RIOPOL que a empresa está contratando alguns trabalhadores terceirizado, que atuam na manutenção da planta industrial, passando-os para o quadro de empregados próprios. Isto significa a redução da terceirização, neste setor da companhia, isto representa um primeiro  passo no sentido de atender uma reivindicação sempre presente na pauta do movimento dos químicos, petroquímicos, petroleiros e outras categorias, que é a “primeirização” dos serviços prestados por empresas terceirizadas, em atividades importes para o funcionamento das empresas.

 

“EM NOME DA CRISE”

A LANXESS vem “orientando” os trabalhadores a não solicitarem a antecipação de 50% do 13º salário ou o abono pecuniário de 1/3 nas férias; apesar de dizerem que quem desejar usar estes direitos será atendido. Porem, no momento em que a empresa está demitindo dezenas de trabalhadores, poucos terão coragem de fazer valer aquilo que a lei lhes assegura:

I- A Lei 4.749/65, artigo 2º, garante ao trabalhador o direito à antecipação de 50% do 13º salário, correspondente à metade do salário recebido no mês anterior; para os trabalhadores que entram em gozo de férias entre fevereiro e novembro de cada ano.

II- O artigo 143 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, assegura ao trabalhador o direito ao abono pecuniário de 1/3 da suas férias anuais, ou seja, convertendo 10 dias em dinheiro e gozando apenas 20 dias de férias.

Como se verifica, em nome da dita “crise internacional” a empresa sugere aos trabalhadores abrirem mão de direitos previstos em lei, porém não abre mão de os demitir, diante de uma possibilidade de ter lucros menores em 2009.

Esta prática, certamente, não seria usada na Alemanha, por que lá os trabalhadores exigem respeito, compromisso e dialogo social. Aqui é mais fácil assediar os trabalhadores a não fazer uso dos seus direitos.

 

NITRIFLEX: Só Assédio e silêncio, até hoje não voltou à mesa de negociações. Será que o Sr. Nogueira continua sem agenda?

DE QUEM SERA ESTE RETRATO?

O OPORTUNISTA. Ele esta sempre esperando o resultado da luta dos outros para obter vantagens e benefícios pessoais. Como ele nunca luta por nada, aproveita todo o tempo livre para fazer criticas e difamar quem esta ocupado lutando.

O oportunista se considera pessoa esperta. Ele nunca pensa em contribuir para algo que vá melhorar a vida de outras pessoas, mas acha que é obrigação dos outros lutarem para que ele obtenha benefícios.

O oportunista tem uma visão cínica da sociedade. Ele pensa que todo mundo é igual a ele. E como ele só faz as coisas pensando em “se dar bem”, acha que todo mundo é assim.

Na cabeça do oportunista, contribuir para ter uma entidade forte e, combativa é bobagem. No fundo, ele acha que todo lutador esta procurando benefício individual, ou seja, todo oportunista é pobre de espírito e de consciência.

Ele é tão estúpido, que quando chega para trabalhar numa empresa, com todos os direitos, benefícios e conquistas, pensa que aquilo lhe esta sendo dado porque ele é altamente inteligente, competente e qualificado, encontrando tudo pronto não percebe, em seu oportunismo e individualismo, que todos os benefícios e conquistas são fruto da luta de outros, que o procederam bem antes dele chegar ali, portanto, tudo pronto para usufruir.

Quando ele sofre situações de risco e seus direitos não são respeitados, quando é agredido moralmente por chefes autoritários, quando perde um documento e precisa de comprovação que a empresa se nega a fornecer, ele lembra do sindicato.

Quando a empresa fecha e ele se vê na rua da amargura, ele lembra do sindicato, que sempre lhe da orientação.

Quando ele é demitido só lhe resta um caminho: o sindicato, do qual ele sempre falou mal, para recorrer à justiça.

Autor: Um operário com consciência de classe

 

O QUE QUEREMOS DIZER COM ISSO?

 

Companheiro (a)s  chegou a época de você trabalhador, optar para quem ira um dia seu de trabalho do ano; isto é imposto; isto é o Imposto Sindical.

Criado pelo Presidente Getulio Vargas, para sustentar os sindicatos pelegos (pelegos, pois naquela época tratava-se de uma forma que o governo criou de controlar os sindicatos para eles serem assistencialista e assim quebrar, com aqueles sindicatos que tinham conquistados diversos benefícios aos trabalhadores através de embates com o patrão com greves; alguns dos resultados foram redução de jornada de trabalho, abono de Natal, férias etc..).

Queremos orientar que quando você é descontado em março esse dia de trabalho 60% é destinado a um Sindicato, 15% para a Federação, 5% para a Confederação, 10% para as Centrais Sindicais e 10% para o Ministério do Trabalho.

Você quando contribui para o Sindicato que não te representa, você esta jogando fora o dinheiro que lhe foi subtraído e subsidiando um sindicato que nada faz por você e enfraquecendo aquele que vem conquistando aumento real, PLR, prêmio de férias, etc.

Então você que é técnico, engenheiro, assistente social, contador, reflitam o que você quer ajudar a manter um sindicato que acha que seu piso deve ser dois salários mínimos ou um sindicato que todos os anos senta-se à mesa para negociar com o patrão para que TODOS conquistemos mais ganhos.

Ao optar por contribuir para um “Sindicato de Categoria Diferenciada” ou de Profissionais Liberais, você estará abrindo mão da representação do Sindicato da sua Categoria; por isto, o SINDIQUIMICA não terá poder ou obrigação de lhe representar em processo coletivos ou execução de Dissídios de data base; e até mesmo dar assistência no ato de homologação de Rescisão de Contrato de Trabalho o Sindicato poderá se recusar a fazer, uma vez que você renunciou a nossa representação ao optar por outro Sindicato.

  



Escrito por Sindiquímica às 18h09
[   ] [ envie esta mensagem ]




     

                                                                                                          

 

SINDIQUIMICA  INFORMA  

 

    LANXESS/PETROFLEX    

DEMISSÕES E LAMBANÇAS EM MASSA 

Sob a justificativa da crise internacional que teria reduzido as vendas de borracha sintética nos mercados nacional e internacional; a LANXESS coloca em prática o seu plano "SINERGIA", nome bonito que estão dando à chamada reestruturação de empresas incorporadas ou adquiridas por outras; que na realidade significa DEMISSÕES, ou seja, trabalhadores sem emprego e famílias em dificuldades.

Nos últimos dias de dezembro e primeira semana janeiro, cerca de 200 trabalhadores terceirizados foram demitidos pelas prestadoras de serviço da Lanxess, em Duque de Caxias e nesta semana, deu-se o início das demissões no quadro próprio de Empresa. As alegações são as de sempre: estoques de produtos acabados altos, vendas reduzidas e falta de dinheiro em caixa etc. etc. etc.

Vale ressaltar que ao longo dos último oito anos a Petroflex apresentou bons resultados, sucessivamente. Veja o quadro abaixo:

 

ANO

LUCRO LÍQUIDO

ANO

LUCRO LÍQUIDO

2001

R$ 11.000.000,00

2002

30.000.000,00

2003

R$ 60.500.000,00

2004

R$ 98.300.000,00

2005

R$ 88.000.000,00

2006

R$ 23.000.000,00

2007

R$ 70.000.000,00

2008

NÃO DIVULGADO

FONTE: Relatórios anuais de Resultados da Petroflex enviados à Comissão de Valores Mobiliário -CVM.

 

É importante deixar claro que durante os primeiros nove meses de 2008 a empresa apresentou excelentes resultados, o que lhe assegura RESULTAODS POSITIVOS durante o último exercício financeiro.

Como se pode verificar, os capitalistas embolsam o lucro, resultado do nosso trabalho, durante os últimos oito anos e, agora, diante de sinal de crise, nos transfere  possível inexistência de lucro em 2009; fechando cerca de 250 posto de trabalho e demitindo os trabalhadores que os ocupavam.

Nesta segunda-feira, logo após terem dado início ás demissões dos operadores, ocorreu um vazamento de Butadieno, na área 23. Como o setor estava sendo operado por apenas dois técnicos de sistema, notou-se a falta de pessoal para o combate à emergência; situação que tende a piorar com outras demissões. Lembramos que a Petroflex é uma indústria com tecnologia antiga e não uma fábrica de cerveja ou refresco, por esta razão, necessita de pessoal capacitado e em número suficiente para operá-la e dar o primeiro combate às situações de emergência.

Nos soa como contraditórios, para classificar de mentirosos, os recentes argumentos da Direção da Lanxess: I - Desativaram a unidade de PBLH, sob a alegação de que o processo de produção daquele látex não se enquadrada nos padrões de segurança industrial da Empresa e, agora, comprometem a segurança de toda a fábrica com as demissões de pessoal ligado ao setor produtivo: II - No dia 5 último, em entrevista à Gazeta Mercantis, o Sr. Marcelo Lacerda, Presidente da Lanxess Brasil, disse que a empresa "sextuplicou o faturamento em três anos" em nosso País, que a "incorporação da Petroflex ao grupo Lanxess, em 2008, foi importante para este resultado"; que por se tratar de uma Empresa enxuta, "a Lanxess não cogita, por enquanto, a hipótese de demissões".

No final da tarde desta quarta-feira, recebemos, na sede do SINDIQUIMICA, representes da área de administração de Pessoal da Lanxess/Petroflex que foram nos comunicar que estavam demitido trabalhadores do quadro da própria Empresa, em Duque  de Caxias e falar do "pacote de benefício" que a empresa está oferecendo aos demitidos. Alegam que por causa da crise e redução nas vendas de borracha, a Lanxees não tem "fluxo de caixa" para manter os níveis de emprego e que duas linhas de produção (uma em Caxias e outra em Triunfo) serão "HIBERNADAS".

Questionado sobre a continuidade ou não das demissões e o número de Trabalhadores a serem dispensados e quanto a possibilidade de concessão de férias coletivas, o Sr. Flavio disse não saber informar.

Informamos que a área de RH da empresa vinha solicitando esta reunião desde segunda-feira, porém, não houve condições de recebê-los; ate porque já sabíamos que pretendiam comunicar um fato consumado; Porque às 4 horas de madrugada de segunda-feira, os "Capitães do Mato" procuravam trabalhadores para serem demitidos, no interior da fábrica. Logo não se tratava de buscar uma negociação ou "dialogo social", o Sindicato, conforme prática de várias empresas Alemãs. Até porque, o Sr Flávio, em pouco mais de dois anos de Petroflex, jamais negociou com o SINDIQUIMICA.

 

NITRIFLEX

ASSÉDIO MORAL NAS ELEIÇÕES PARA CIPA

 

Apesar de uma condenação, pela Justiça do Trabalho, ao pagamento de 50 salários mínimos (R$ 20.750,00 em valores atuais) para cada um dos 25 trabalhadores assediados, em 2000, (totalizando R$ 518.750,00); os administradores da Nitriflex não se emendaram e continuam com práticas abusivas e autoritárias contra os trabalhadores.

Na eleição para os representantes dos trabalhadores, na CIPA, ocorrida no final de 2008, vários ocupantes de cargos de chefia, na fábrica, se empenharam para que um determinado empregado não se candidatasse e, com não conseguiram, alguns destes chefes se apresentaram como candidatos, tentado eliminar a possibilidade da eleição do candidato que a gerência expurgar. Como, mais uma vez, não tiveram êxito nesta tarefa suja, pois companheiro foi o mais votado da fábrica, passaram a praticar discriminações contra este trabalhador e sues possíveis eleitores.

Como se não bastasse, pressionaram vários empregados no sentindo de estes revelassem seu voto; alguns chefes mapearam a possibilidade de sues subordinados não terem votado neles e passaram a pressioná-los para que quebrassem o sigilo do voto, sob a alegação de que o gerente da fábrica esta se sentido traído.

Pelo que chegou ao nosso conhecimento até demissão já ocorreram por esta razão mesquinha, ilegal e porque não dizer delituosa; pois se trata da quebra do sigilo do voto e supressão do livre direito de expressão individual, garantidos na Constituição Federal.

 

NEGOCIAÇÕES SEM RESPOSTA: Até esta data a Direção da Nitriflex não respondeu ao SINDIQUIMICA quando realizaremos a reunião, para retomada das negociações de data base; uma vez que a contraproposta da Empresa foi rejeitada pelos Trabalhadores, na Assembléia realizada no dia 17/12, por 70 votos contrários ao Acordo proposta contra 28 votos a favor.

 



Escrito por Sindiquímica às 18h07
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

SINDIQUIMICA  INFORMA  

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2008

TRABALHADORES DA NITRIFLEX DIZEM:

 

 NÃO!

 

EM ASSEMBLÉIA REALIZADA NESTA QUATA-FEIRA, DIA 17 DE DEZEMBRO, COM A PARTICIPAÇÃO  DE  99 (NOVENTA E NOVE) TRABALHADORES; SENDO A GRANDE MAIORIA DE EMPREGADOS DA ATIVA, UMA VEZ QUE  APENAS  10  (DEZ)  APOSENTADOS,  ASSISTIDOS  PELA   PETROS       COM    DIREITO    A    VOTO, ATENDERAM AO SINDICATO.  TIVEMOS  A  EXPRESSÃO  DO  SENTIMENTO  E  DA  VONTADE  DA  IMENSA MAIORIA DOS EMPREGADOS DA NITRIFLEX.

 

PARA NOSSA SURPRESA, APESAR DE TODA PRESSÃO E TENTATIVA DE CONVENCIMENTO DAS CHEFIAS, DURANTE   AS  ÚLTIMAS  SEMANAS,   DEFENDENDO   A  APROVAÇÃO   DE   UMA   PROPOSTA   RUIM   E DESCRIMINATÓRIA, OS COMPANHEIROS DA NITRIFLEX, EM UMA ATITUDE DE CORAGEM E DIGNIDADE, DISSERAM  NÃO   À  PROPOSTA    DO    PATRÃO.   ESTE  RECADO   SIGNIFICA    EXIGIR TRATAMENTO  RESPITOSO  E  SEMELHANTE  AO  QUE  É  DISPENSADO  AOS  DEMAIS TRABALHADORES DO GRUPO BRAMPAC.

 

RESULTADO DA VOTAÇÃO DA ASSEMBLÉIA:

VOTOS FAVORÁVEIS À ASSINATURA DO ACORDO: 28 (VINTE E OITO)

VOTOS CONTRÁRIOS À ASSINATURA DO ACORDO: 70 (SETENTA)

ABSTENÇÃO (PESSOA QUE ASSINOU A PRESENÇA E NÃO VOTOU): 1 (um)

 

DIANTE DESTE EXPRESSIVO RESULTADO E ATENDENDO O DESEJO  DE  70%   (SETENTA  POR  CENTO)  DOS  TRABALHADORES  DA  NITRIFLEX,  ESTAMOS  RETORNANDO  À  MESA  DE  NEGOCIAÇÃO   PARA BUSCAR UM TRATAMENTO DIGINO E IGUALITÁRIO PARA OS COMPANHEIROS DA EMPRESA, EM DUQUE DE CAXIAS.



Escrito por Sindiquímica às 10h21
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA  INFORMA  

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2008

TARABALHADORES QUATTOR PETROQUÍMICA S. A. EM ASSEMBLÉIA REALIZADA NESTA DATA, APROVAM A PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO PARA 2008/2009, COM A SEGUINTE VOTAÇÃO:

VOTOS FAVORÁVEIS À ASSINATURA DO ACORDO: 57 (CINQÜENTA E SETE) e

VOTOS CONTRÁRIOS À ASSINATURA DO ACORDO: 04 (QUATRO)

A PRESENÇA DE 61 TRABALHADORES DA QUTTOR PP, REPRESENTA CERCA DE 2/3 DO TOTAL DOS EMPREGADOS DA UNIDADE SEDIADA EM DUQUE DE CAXIAS.

DESTA FORMA, CONFORME COMPROMISSO DA EMPRESA, O PRÓXIMO PAGAMENTO, DIA 19/12, SERÁ EFETUADO COM A CORREÇÃO SALARIAL DE 9%, RETROATIVO À 01/09/08. O PISO SALARIAL, NA  FÁBRICA,  PASSARÁ PARA R$ 526,00.

AS CLÁUSULAS SOCIAIS DO ACORODO ANTERIOR FORAM RENOVADAS NA ÉNTEGRA, POR MAIS UM ANO. NO SEGUNDO SEMESTRE DO PRÓXIMO ANO RETERNAREMOS ÀS NEGOCIAÇÕES, PARA DISCUTIR TODO O ACORDO, OU SEJA, CLÁUSULAS ECONÔMICAS E SOCIAIS.

 



Escrito por Sindiquímica às 18h13
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

SINDIQUIMICA  INFORMA  

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2008

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

TRABALHADORES DA NITRIFLEX S. A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO

 

LOCAL: Sede do SINDIQUIMICA, rua Tuiuti, 173 - centro Duque de Caxias - RJ.

 

DATA - 17 DE DEZEMBRO DE 2008. EM TRÊS  SESSÕES.

 

HORARIOS: Às 07 horas e 30 minutos, às 13 horas e 30 minutos e às 16 às 18 horas - Todas em PRIMEIRA CONVOCAÇÃO. A SEGUNDA CONVOCAÇÃO SE DARÁ 30 MINUTOS APÓS.

 

NITRIFLEX:

 

O MENOR ÍNDICE DE REAJUSTE DO SETOR PETROQUIMICO DO PAÍS!

SEREMOS O "RABO DA PIPA" NOVAMENTE?

 

Companheiros (as),

 

Após a última reunião com a Empresa, no dia 25/11, recebemos a MINUTA DE ACORDO de data-base, dos representantes da NITRIFLEX; na oportunidade, informamos à Empresa que oportunamente seria convocada uma Assembléia dos Trabalhadores interessados, para deliberarem sobre contraproposta patronal.

A Nitriflex, mais uma vez, dispensa tratamento diferenciado e discriminatório aos trabalhadores de Duque de Caxias. No ano passado, enquanto os Empregados do Grupo BRAMPAC, de São Paulo, inclusive o pessoal do escritório da Nitriflex, receberam reajuste salarial de 6,2%, em Caxias ficamos com o INPC do período, correspondente a 4,82%.

Este ano, novamente, todas as empresas do Polos Petroquímico praticaram reajuste de 9%; algumas de forma linear e outras usaram um teto salarial - em São Paulo este teto foi de R$ 5.482,80. Em Caxias, a Nitriflex "chora a crise até as últimas lágrimas" e novamente oferece o INPC, de 7,15%. Como já foi paga uma antecipação de 6%, retroativa a setembro; os salários atuais terão uma correção de apenas 1,085%.

É necessário lembrar ao "Seu Jaques" que os trabalhadores da fábrica de Caxias merecem respeito e não aceitam tratamento discriminatório ou diferenciado.

RABO DA PIPA, JAMAIS!                                                                  

                                                 

  ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

 

 

Pelo presente EDITAL, na forma dos Estatutos deste Sindicato e do artigo 8º da Constituição da República Federativa do Brasil, ficam convocados os empregados da Nitriflex S. A. Indústria e Comércio, lotados na unidade fabril sediada no município de Duque de Caxias - RJ e os Assistidos do Plano de Previdência Privada administrado pela Fundação Petrobrás de Seguridade Social - PETROS, patrocinado pela Nitriflex. Com direitos assegurados pelos artigos 41 e 42 do Regulamento do Plano de Benefício daquela Instituição, todos representados por este Sindicato Laboral; para se reunirem em Assembléia Geral Extraordinária a ser realizada na sede social desta entidade, sita à rua Tuiuti, no 173, bairro 25 de Agosto, em Duque de Caxias - RJ, no dia 17 de dezembro de 2008, a se realizar em três sessões, com a primeira sessão às 7 horas e 30 minutos, a segunda às 13 horas e 30 minutos e terceira às 16 horas, todas em 1ª convocação, sendo que a 2ª convocação se fará 30 minutos após. Para deliberarem sobre a seguinte;

 

ORDEM DO DIA:

 

I - Discussão e votação da contraproposta da empresa com vistas à assinatura de Acordo Coletivo de Trabalho, de Data Base, para o período compreendido entre 01 de setembro de 2008 a 31 de agosto de 2009;

 

II - Autorizar a Diretoria do Sindicato Laboral firmar o instrumento Coletivo, no caso de aprovação da contraproposta patronal;

 

III - Em sendo rejeitada a Contraproposta Patronal; autorizar o Sindicato Profissional a dar continuidade às negociações;

 

IV - Outros assuntos de interesses dos trabalhadores convocados, relacionados à negociação e assinatura do Instrumento Coletivo de Data Base.

 

Duque de Caxias, 05 de dezembro de 2008.

 

 

Salvador Alves de Oliveira

Secretário de Administração e Patrimônio.

 

NOTA: Conforme previsto no artigo 612 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT); esta Assembléia só será deliberativa e, conseqüentemente, suas decisões serão válidas se tomadas com presença, mínima, de 2/3(dois terço) dos interessados, em 1ª convocação e 1/3 (um terço) em 2ª convocação. 



Escrito por Sindiquímica às 18h12
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA  INFORMA  

NEGOCIAÇÕES COLETIVA 2008

ASSEMBLÉIA DE TRABALHADORES DA RIO POLÍMEROS APROVA ACORDO

 

EM ASSEMBLÉIA REALIZADA NESTA SEXTA-FEIRA, DIA 28, COM A PARTICIPAÇÃO DE 150 TRABALHADORES DA RIOPOL; FOI APROVADA A CONTRAPROPOSTA DA EMPRESA, PARA ASSINATURA DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO COM VIGÊNCIA DE 01/09/08 À 3108/09.

FOI APURADO O SEGUIMNTE RESULTADO DA VOTAÇÃO:

VOTOS FAVORÁVEIS À ASSINNATURA DO ACORDO, 121;

VOTOS CONTRÁRIOS À PROPOSTA DA MEMPRESA:      28

VOTOS NULOS                                                                            01

 

DIANTE DA MANIFESTAÇÃO DOS TRABALHADORES DA EMPRESA, NESTA SEGUNDA-FEIRA, COMUNICAREMOS, OFICIALMENTE, O RESULTADO DA ASSEMBLÉIA À RIOPL E SOLICITAREMOS QUE SEJAM TOMADAS AS PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA ASSINATURA DO INSTRUMENTO COLETIVO E PAGAMENTO DAS DIFERENÇAS SALARIAIS AOS EMPREGADOS BENEFICIADOS PELO ACORDO.

 



Escrito por Sindiquímica às 11h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




SINDIQUIMICA  INFORMA  

NEGOCIAÇÕES COLETIVA 2008

ASSEMBLÉIA TRABALHADORES DA PETROFLEX APROVA ACORDO

 

 

Em Assembléia realizada nesta data, os Trabalhadores da Petroflex e Assistidos da PETROS, aprovaram a Proposta de Acordo submetida à apreciação do Plenário, com o seguinte resultado: Votos favoráveis à assinatura do Acordo, 260 (duzentso e sessenta); votos contrarios ao fechamento do Acordo, 27 (vinte e sete); votos em branco, 1 (um) e abstenções, 10 (dez).
Diante da manifestação dos participantes da Assembléia, comunicaremos o resultado apurado à Empresa, nesta sexta-feira e solicitaremos que sejam tomadas as providências necessárias para sejam efetuados o pagamento das diferenças salariais aos interessados (trabalhadores da ativa e Assistidos Petros).



Escrito por Sindiquímica às 20h10
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  18/07/2010 a 24/07/2010
  13/09/2009 a 19/09/2009
  06/09/2009 a 12/09/2009
  24/05/2009 a 30/05/2009
  03/05/2009 a 09/05/2009
  15/03/2009 a 21/03/2009
  01/03/2009 a 07/03/2009
  08/02/2009 a 14/02/2009
  18/01/2009 a 24/01/2009
  14/12/2008 a 20/12/2008
  07/12/2008 a 13/12/2008
  23/11/2008 a 29/11/2008
  16/11/2008 a 22/11/2008
  09/11/2008 a 15/11/2008
  02/11/2008 a 08/11/2008
  26/10/2008 a 01/11/2008
  19/10/2008 a 25/10/2008
  12/10/2008 a 18/10/2008
  05/10/2008 a 11/10/2008
  28/09/2008 a 04/10/2008
  21/09/2008 a 27/09/2008
  14/09/2008 a 20/09/2008
  17/08/2008 a 23/08/2008
  10/08/2008 a 16/08/2008
  03/08/2008 a 09/08/2008
  13/07/2008 a 19/07/2008
  22/06/2008 a 28/06/2008
  01/06/2008 a 07/06/2008
  20/04/2008 a 26/04/2008
  09/03/2008 a 15/03/2008
  24/02/2008 a 01/03/2008
  17/02/2008 a 23/02/2008
  27/01/2008 a 02/02/2008
  20/01/2008 a 26/01/2008
  06/01/2008 a 12/01/2008
  30/12/2007 a 05/01/2008
  16/12/2007 a 22/12/2007
  30/09/2007 a 06/10/2007
  12/08/2007 a 18/08/2007
  24/06/2007 a 30/06/2007
  06/05/2007 a 12/05/2007
  11/03/2007 a 17/03/2007
  25/02/2007 a 03/03/2007


Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog